Ana Stoppa - Colunista

Ana Maria Stoppa, natural de Santo André/SP, nome literário: Ana Stoppa, ítalo-brasileira, Titular da Cadeira n. 02  da ANLPPB – Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro;  Vice-Presidente Internacional e titular da Cadeira n. 13  Academia Internacional Literária ALPAS21;  Acadêmica titular da  Cadeira n. 09, ALGRASP - Academia de Letras Grande São Paulo, Diretora de Ação Social 2016-2018, 2019/2021 -  OAB, 38º Subseção - Santo André/SP; Autora do Projeto Voluntário Para Incentivar a Leitura, viabilizado com recursos próprios, advindos de parte dos rendimentos obtidos na atividade profissional exercida nas áreas cível e trabalhista. Desde o início, abril/12   o projeto contabiliza a visita da autora em mais de 150 escolas públicas – estaduais e municipais localizadas no Grande ABCDMRR e em algumas das cidades dos Estados de: Mato Grosso, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, somando até dezembro/2018, 72.000 livros distribuídos gratuitamente.

 

Obras Publicadas

1989

Diagnóstico, (poesias)

2012

O Silêncio dos Porta-Retratos, (poesias)

Lelé o Navegador dos Sonhos,   obra classificada em 1º Lugar em um concurso de literatura infantil.

2013

 

Poesias

Obras bilingues , português e italiano, categoria: Poesias:

Mosaici di Sapienza/Mosaicos de Sabedoria; Il Silenzio Dei Portaritratti/O Silêncio dos  Porta-Retratos.

2014

 

Lançamentos: Rafael o Ursinho Guloso; Oração dos Bichos; Estela a Pata Bela; Nova edição:  Lelé O Navegador dos Sonhos;Edições em italiano: Lelè il Navigatore Dei Sogni; Raffaele l’Orsetto Goloso; Preghiera Degli Animali; Stella L’Anatra Bella; Verbena La Fata Protettrice Della Natura.

 

2015

Lançamentos: Fada Verbena a Defensora da Natureza - (três edições); A Fada Mirabela e o Sapo Guaraci;Co-autora da  Antologia  Ecologia è Vita, Edizione Giullia Selvaggi, Itália; Vida Perene, Pensamentos e Reflexões, Editora Modocromia, Lisboa, Portugal; Novas Edições: Rafael o Ursinho GulosoLelé o  Navegador dos Sonhos;  Oração dos Bichos;   Estela a Pata Bela.  

 

2016

Lançamentos: Cristal a Corujinha Cantora - obra classificada em 2º Lugar em um concurso de literatura infantil; Caó o Cavalinho de Um Olho Só; O Rio Que Era Doce – literatura infanto-juvenil sobre a tragédia de Mariana, (três edições); La Fata Mirabella E Il Rospo Guaraci,  (A Fada Mirabela e o Sapo Guaraci); Descomplicando a Segurança - escrito para o CPTran/SP, com foco na educação no trânsito, para crianças. Novas Edições:  Oração dos Bichos;  A Fada Mirabela e o  Sapo Guaraci;  Fada Verbena a Defensora da Natureza;  Lelé o Navegador dos Sonhos.  

 

2017

Lançamentos: Cacau o Cachorrinho Legal; O Ronrom do Bombom; A Fada Soraia e Todas as Cores da Natureza; Juvenal o Motorista Distraído - escrito para o CPTran/SP, com foco na educação no trânsito, para crianças. Novas Edições:  A Fada Mirabela e o Sapo Guaraci; Lelé o Navegador dos Sonhos; Rafael o Ursinho Guloso; Fada Verbena A Defensora da Natureza; O Rio Que Era Doce.

 

2018 Lançamentos: O Tatu Teotônio em Busca do Planeta Perfeito; Gigi a Joaninha Ambientalista. Novas Edições: Cacau o Cachorrinho Legal; O Ronrom do Bombom;  Caó o Cavalinho de Um Olho Só; A Fada Soraia e Todas as Cores da Natureza; Estela a Pata Bela; O Rio Que Era Doce; Rafael o Ursinho Guloso.

2019 Lançamentos: Tutuco O Cachorro Amigão; Os Jardins das Três Meninas. Nova Edição: Cristal a Corujinha Cantora.

Participação em dezenas antologias, publicadas no Brasil, Portugal, Moçambique, Itália e Romênia.

Premiações e Condecorações

 

1989 - 1º. Lugar, Concurso de Literatura Infantil Secretaria de Educação de Barueri/SP, gênero: literatura infantil, com a obra Lelé o Navegador dos Sonhos.

 

2012 - Medalha do Mérito Comunitário Tobias de Aguiar, Representando a região CPAM/A6 – Secretaria dos Negócios da Segurança Pública. Polícia Militar do Estado de São Paulo, Diretoria de Polícia Comunitária e de Direitos Humanos.

 

2013 - Cidadã Mauaense, Decreto Legislativo 04 de 27.09.213, Câmara Municipal de Mauá-SP.

 

2014 - 2º. Lugar, I Concurso de Poesias Infanto-Juvenil “Mãos Que Falam”; 5º. Lugar,   VIII Concurso Literário Poesias sem Fronteiras; Prêmio Excelência Mulher 2014- FIESP Federação das Indústrias do Estado de São Paulo;  Condecorada com o título de  Ambasciatrice di Pace e agraciada com o  Premio Internazionale di Letteratura Infantil e Poesia "Maestro Egidio Cofano", Salloto Culturale Palazzo Recupero - Martina Franca/Itália; Prêmio Ignazio Ciaia con  l'Altro Patronato del Presidente Della Repubblica - Fondazione Nuova Proposta; Prêmio “Ponte Entre os Povos” - Martina Franca(TA); Cartão de Prata recebido por ocasião das comemorações dos 14 anos de instalação  30º BPM/M, Mauá/SP.

 

2015 - 1º. Lugar,   XVI Edizione del Premio Internazionale di Poesia edita e Inedita “Tra le parole e l’infinito”,  Caserta (NA),  Itália,  com  a poesia Dove va questo Mondo?; Premio Profetessa di Vita,   Teodoforo D’Amore, Diffensore della Natura Salotto Culturale Recupero - Martina Franca, Itália; Premio Internazionale Sezione Poesia, Festival Internazionale Delle Emozione; 3º. Lugar,  Concorso di poesia e prosa "San Valentino in versi" - Edizione 2015, Associazione Culturale Arcobaleno,  San Vito dei Normanni(TA), Itália,  com a poesia l’ultimo poema.

 

2016 - 3º. Lugar,   XVI Edizione Del Premio Internazionale di Poesia edita e Inedita “Tra le parole e l’infinito”, Caserta (NA),  Itália;  Agraciada com Medalha alusiva ao 56º Aniversário do CPTRAN, pela autoria da Obra Descomplicando a Segurança, para fins do Projeto de Educação para o Trânsito;   Medalha “ Gratia Gratiam Parit” recebida da - Secretaria de Estado dos Negócios da Segurança Pública, Polícia Militar do Estado de São Paulo, 30º BPM/M, Ten. Cel. Everton Rubens Rodrigues da Cunha; Madrinha da Turma de 2016 do PROERD – Programa Educacional de Resistência as Drogas e Violência da Polícia Militar, com a distribuição de 2.500 livros livros. 

 

2017 - 1º  Lugar, Categoria Autor Estrangeiro, Poesia. X Edição Prêmio Scrivere, Edizione 2017, Roma, Itália; 3º. Lugar,  Categoria Autor Estrangeiro, modalidade poesia: Concorso Art Emozioni, Martina Franca, (TA), Itália; 4.º Lugar, Categoria Autor Estrangeiro, XVII Edizione Del Premio Internazionale di Poesia edita e inedita, “Tra Parole e L’Infinito”, Caserta (NA),  Itália;Agraciada com a Moeda Desafio n. 240  por ocasião das  Comemorações  alusivas ao  36º Aniversário do Comando do Policiamento de Trânsito, Secretaria do Estado dos Negócios da Segurança Pública de São Paulo.

 

2018 - 2º Lugar, Categoria Autor Estrangeiro, II Edizione Concorso Gocce di Memoria, Taranto, Itália; Attestato di Merito Premio di Poesia Mondi Delicati, organizacione Vicenzo Olivieri, Sciciano, Italia, Tema: Fede; Attestato di Merito Premio di Poesia Mondi Delicati, organizacione Vicenzo Olivieri, Sciciano, Italia, Tema: Disabilità; 5º Lugar, Categoria Autor Estrangeiro – XIX Edizione Premio Letterario Internazionale “Tra le Parole e l'infinito”,  Caserta (NA),  Itália.

 

Contato:   anamstoppa@hotmail.com

Telefones: (11) 998048986 -  (11) 4555-5095

      

 

Ana Stoppa - Colunista

Conto de Natal -  A Morada do Menino Deus O dia  amanhecera chuvoso, passava das 10 quando Mário Celso despertou feliz ao lado da esposa Renata, dos três filhos e do inseparável Jumbo, o cãozinho sem raça definida  que recebera este nome  como gozação , pois mais se...
Palavras   Palavras expressam  vida, aroma, cores, sons, energia, musicalidade,movimento, paz, amor, felicidade, esperança, luz e harmonia,   quando utilizadas com sabedoria.          No entanto,  como ganham vida nas mãos ou...
O silenciar da alma   O silenciar da alma abriga o amor, a felicidade, a paz e a alegria... Mas também carrega o sufoco das palavras não ditas, sob o som do canto solitário pobre  de encanto... O silenciar da alma abriga a gratidão, a humildade, a beleza da simplicidade, um mar de...
Viver é uma obra de arte   Quanta magia reside no nascer de um novo dia! Tal qual uma folha de papel  em branco, pelo dom da vida  despertamos como artistas de nossa própria existência. Em cada minuto, segundo ou hora podemos desenhar nesta folha do tempo o que desejamos. Às...
De conversa em conversa  I Episódio Debaixo dos  caracóis.   Debaixo dos  caracóis.    - Quando  crescer  viajarei para o outro lado do mundo, bem distante, atravessarei o mar,  muitos dias de navio, não sei o nome do lugar, mas sei que farei este...
Conto - Sapatos Para Um Anjo                                        Ana Stoppa   Pela segunda vez...
 Conto Pérolas Tardias                                        (Ana Stoppa) Na vitrine iluminada o...
                        O céu límpido de um azul intenso refletia no horizonte o dourado do sol em todos os...
    Eu quero me vestir de anjo!   - Disse  a menina ruiva na época com  não mais do que seis anos de idade.  Mas porque esta vontade agora minha filha, você nem gosta de andar muito, Toda vez que saímos seu pai tem que te carregar no colo, você vive chorando ...
  Passava das oito da noite quando Adélia ouviu tocar a campainha.   Esparramada no sofá após um dia exausto  atendeu sem a mínima vontade  diante da insistência.   Passava por momentos difíceis – fim de um relacionamento antigo, distância dos amigos,...
Os mais antigos moradores da Cidade da Paz contam que há muitas luas viveu no lugar uma família que tinha uma missão muito especial – a de semear a felicidade. Eram seis pessoas – diz Antônio Prudêncio para o neto Enzo - menino de oito anos,  acomodado na rede de algodão cru sustentada em...
  Durante a noite de Natal perambulou solitário pelas esquinas vazias da cidade  grande em busca do raro alimento para a alma -  o calor humano. Edifícios imponentes misturavam-se às torres de comunicação adornadas de luzes multicoloridas.   Sentiu-se transparente - ninguém o...
por Ana Stoppa   Caminha-se no breve existir com tamanha celeridade que mal se percebe a  velocidade do tempo.   Este tempo que carrega a infância, abrevia a juventude, acende e apaga inúmeras vezes a chama da esperança.   Este tempo que traz o riso e as lágrimas, a ira e o...
por Ana Stoppa E fez-se silêncio nos sonhos... Talvez as águas em abundância, prenúncio de temporal. Talvez o medo do desconhecido ou de se permitir. Mas fato é que os sonhos silenciaram. Debandaram sem nada dizer - até porque coisa de louco a ideia de  os sonhos falarem... Não ! Não! Os...

Newsletter

Assine a nossa newsletter:

Divulga Escritor: Revista Literária da Lusofonia

Para participar escreva email para:

divulga@divulgaesc

ritor.com

 

 

 

 

http://picasion.com/
 
 
 
 
Clique Aqui para Acesso gratuito a todas as Edições publicadas.
 
 
Livros em Destaque!

Para adquirir o seu exemplar Clique na imagem do livro

Brasil

 

 

 

Conheça outros parceiros da rede de divulgação "Divulga Escritor"!

 

         

 

 

Serviços Divulga Escritor:

Divulgar Livros:

 

Editoras parceiras Divulga Escritor

 
   
 

  

  
 

Contato

Divulgando Escritores! smccomunicacao@hotmail.com